Follow us on social

Angola Empreende

 

Marketplace Angola

Marketplace Portugal

Educação

Email
geral@angolaempreende.com

País

Angola

Redes Sociais

Porquê somos programados a estudar à fim de trabalhar ao invés de atingir liberdade financeira?

Pode ser dito que em Angola tal como em muitos outros países do globo, assuntos relacionados a educação financeira é quase que inexistente. É um dos tópicos que simplesmente as sociedades de alguma forma esperam que já saibamos por natureza.

 

É bem provável que você já tenha ouvido imensas vezes dos seus pais e/ou na escola o seguinte: “A melhor forma de alcançar a riqueza é encontrando um emprego que pague bem, guardar dinheiro no banco e não ter gastos supérfluos

Verdade seja dita que estes foram métodos que provavelmente funcionavam no passado mas que hoje podem já não se revelam eficazes. Afinal, o mundo evoluiu e os métodos do “antigamente” tornam-se obsoletos. Aqui vai uma breve reflexão:

 

1- Escola -> Universidade -> Emprego

Quem foi à escola/universidade sabe que é uma das instituições que contribui em grande medida para a construção ou moldura de quem somos. De facto aprendemos muito mais quando não vamos somente com o objectivo de obter um diploma mas sim, dentre outros, com o de desenvolvermos as nossas capacidades intelectuais, aprender os conteúdos necessarios para a vida. Mas nela algo deixa muito a desejar quando se trata de dinheiro, como por exemplo de como fazer dinheiro, de como gerir esse dinheiro e de como fazê-lo crescer. Aparenta de certa forma ser uma instituição mais focada em preparar as pessoas para o mercado de emprego do que para o empreendedorismo.

 

2- Como reagiria a sociedade se tivesse conhecimento da educação financeira?

A sociedade se organizaria melhor, estaria livre de escolhas que levam muitos à falência afogados em dívidas. Um país com um  elevado número de cidadãos empreendedores, contribuiria para o crescimento do país em diversos sectores, em especial para o sector econômico.

Realçamos o sector económico porque um determinado empreendimento além de pagar impostos ao Estado e de gerar empregos, prestará ainda serviços à milhares de cidadãos contribuindo consequentemente a estabilidade social e econômica da população.

 

3 – O chamado ‘Medo

Muitos ponderam a ideia de iniciar um negócio próprio. Parecem buscar motivos e argumentos para não o fazer. Tal postura é de certo modo compreensível porque o negócio exige grande investimento sem garantias de sucesso ou de lucro certo logo desde o início. Todos os dias assistimos a falência de empresas e a ideia de sacrificar um salário estável e embarcar para o incerto, chega a ser intimidante. Contudo, há que enfrentar este medo interno por ser absolutamente normal não saber por onde começar, não ser um “expert”, nem conquistar logo uma clientela certa e cometer erros.

 

Mas sabe o que mais? Mesmo que você falhe no início, persista! Procure saber onde errou e corrija na próxima empenhando-se mais. Os erros constituem grande aprendizado. Quem sabe a ideia estivesse correcta mas não era o momento adequado, ou apenas faltassem mais ajustes. (Nota do editor: Hm… Acho necessário escrever um artigo em separado que fale mais do ‘Medo’)

 

Então, não se deixe estar na zona de conforto. Tire proveito daquilo que o mundo oferece, discipline o seu subconsciente e olhe ao seu redor para saber descobrir o melhor meio de chegar ao maior número de pessoas.

 

Concorda com o que foi dito neste artigo? Acha que faltou abordarmos algum aspecto? ou discorda completamente? Queremos saber a sua opinião, então não se acanhe em deixar um comentário na seção de comentários abaixo 🙂

Postar um comentário